QUAL FIDEL, QUAL SALAZAR… QUAL CARAPUÇA!

10 07 2008

Vejam o que hoje me chegou ao mail! A avaliar pelo documento, será mesmo verdade! A ser verdade, será o começo de um novo paradigma: a INQUISIÇÃO ESCOLAR DE PROFESSORES.

Fidel, Salazar, Franco ou Hitler não fariam melhor!!!

Anúncios

Acções

Information

24 responses

10 07 2008
Isa

sem comentários! E viva um país qualquer à vossa escolha

10 07 2008
João Paulo Monteiro

Isto não pode ser verdade… É a estupidez levada ao máximo expoente. Como dizia um colega meu há dias: “Eu tenho medo é de nós, que conseguimos prejudicar mais o nosso trabalho do que propriamente o ministério com as suas normas impositórias…”

Estamos (a própria classe) a tentar acabar com a profissão!
Vergonhoso! – é o que posso dizer…

10 07 2008
INÊS TELES

Estamos a caminho de algo muito perigoso….Estes Presidentes de C. E. mais papistas que o papa serão provavelmente os futuros Directores.Se ninguém os trava, qualquer dia quererão saber que jornais lemos, que filmes vemos e a que horas vamos à casa de banho!!!! E quem sabe talvez queiram actas dos momentos tão pessoais como são as idas ao WC.
Só p’ra rir…Eu vou para a reforma em 2010( se me deixarem…) mas os profs com 20, 30 ou 40 anos têm muito que penar. Haja Deus!!!!Que gente tão ridícula!

10 07 2008
Sandra Charrua

Bem…Irreal!
E como será que os professores titulares reagiram?
Será que foi feito o tal relatório por alguém?
Gostava de saber se houve uma “mini” revolução dos cravos neste agrupamento contra estes “mini-ministros”! Alguém sabe?????

10 07 2008
M

Fidel?
Não percebi…o que faz no meio destes?

10 07 2008
Denúncia Coimbrã

O principal responsável é José Sócrates. Que tb revela o seu “orgulho” aqui: http://denunciacoimbra2.wordpress.com/2008/07/10/o-menino-de-ouro-parte-iv/

10 07 2008
Safira

Que dizer? Isto é o resultado duma política de educação desastrosa…
Passou-se hoje comigo´uma coisa de arrepiar, então não é que o Presidente da minha escola se negou a enviar para o ME o pedido de licença sábatatica a que tenho direito, para a dissertação de Mestrado, só porque eu não o informei que estava a tirar Mestrado? E mais, ele até acha que é ilegal eu não lhe ter pedido autorização. Bem, mas eu peguei nas minhas tamanquinhas e…. fui à DGRHE.
Vim de lá com a resposta que ele não pode recusar enviar o pedido de sabática, até porque o ME exige que a Escola confirme os dados do professor em questão.
Amnhã há mais, porque amanhã ele vai mesmo enviar sob pena de eu apresentar queixa a quem de direito. Oh se vai!
Mas isto tem uma explicação, é que ele mais os restantes membros do PCE ficaram verdes de invejam, quando souberam do meu Mestrado, é que nem disfarçaram. E esta hein!?

Bjs,

Safira

10 07 2008
pjrcarvalho70

Caro M:

Quem não percebe a sua pergunta sou eu!!! A não ser que seja um admirador…

Para mim, com mais ou menos sangue, com mais ou menos brutalidade, com mais ou menos repressão, com mais ou menos autocracia ou absolutismo são todos DITADORES!

PC

11 07 2008
Denúncia Coimbrã

«(…) estranha revolução esta, que desilude e humilha quem sempre ardentemente a desejou. A mais imunda vasa humana a vir à tona, as invejas mais sórdidas vingadas, o lugar imerecido e cobiçado tomado de assalto, a retórica balofa a fazer de inteligência.»
Miguel Torga

11 07 2008
contestatario

A sugestão que me ocorre como resposta a tão anormal comunicação é referir no ponto 9 o senhor presidente do conselho executivo, Henrique Almeida. Afinal, quem pergunta quer saber, certo?

11 07 2008
Esteva

Pormenor curioso: a missiva data de 28 de Maio…

11 07 2008
AA

Olá Paulo,
é a primeira vez que estou a fazer um comentário deste género e claro em forma de desabafo. Concordo plenamente e cada vez mais com o que refere o colega João Paulo Monteiro no seu comentário: “Eu tenho medo é de nós, que conseguimos prejudicar mais o nosso trabalho do que propriamente o ministério com as suas normas impositórias…” Continuamos a discordar das coisas que se passam no agrupamento (inclusivé da falta de competência e de organização de quem “manda em nós”), das atrocidades que fazem contra os professores, das faltas de consideração e respeito pelos colegas, mas na hora de deixar registado em acta o que se disse, ninguém assume nada (nem em nome do Conselho de Docentes, que diga-se de passagem passou a ser uma mera formalidade para cumprir horário e ler as informações vindas do pedagógico), ninguém quer deixar escrito e fica sempre o dito pelo não dito. Claro que assim “eles” vão continuar a abusar de nós e a fazer valer os poderes que lhes são atribuídos de forma descontrolada. Neste momento reina entre a classe dos professores o medo de tudo e de todos e a culpa não é só do Ministério da Educação nem dos “nossos colegas” que não sabem ser professores, é de todos nós que não usámos as armas que tínhamos quando e como devíamos usar. E agora temo que seja tarde demais… muitas dessas armas já não têm o valor e o peso que tinha no passado, foi-lhe tirado de propósito e nós deixámos… Beijo

11 07 2008
Sdias

Não há palavras… voltámos realmente aos tempos do outro senhor… mas ainda há gente que não acredita! É triste.
Um abraço.

12 07 2008
pjrcarvalho70

Olá menina Alice!
Que prazer ver-te por aqui…

Pois é… Tens toda a razão. O medo instalou-se e ninguém quer assumir posições de força.
O melhor exemplo é a célebre manif dos 100 000. Repara que depois de uma manif daquelas, o que aconteceu? Aconteceu o Mário Nogueira a apertar a mão da Ministra…

Eu, na minha insignificância, vou pelo menos denunciando e protestando através deste meu espaço que já teve mais de cem mil visitas.

Um grande beijinho para ti
PC

13 07 2008
Moron Sucker

No seguimento daquilo que li, tenho que dizer: Viva a minha escola ! No passado dia 10 de Julho, o Presidente do CD disponibilzou todo o auxílio da secretaria necessário para que uma colega pudesse ultimar a sua candidatura à licença sabática para fim de doutoramento ! Não é o Sócrates, é alguma boa gente que ainda resta neste país!

13 07 2008
Maria

Confesso que me enfastiam estes comentários deprimentes …

Parece-me que está na hora de encararmos a mudança de forma mais positiva.
Mudar hábitos, custa !
mas, se encararmos a mudança com optimismo e vontade, estou certa que o tempo nos ajudará a vencer obstáculos e o futuro será um desafio enriquecedor.

Se o mundo está em mudança, porque havemos de continuar a querer mais do mesmo?

13 07 2008
pjrcarvalho70

Cara Maria:
Não me peça para encarar mudanças de forma positiva se essas mudanças contribuírem, como é o caso do que está a acontecer na Educação, para o completo apodrecimento do sistema, em que impera a lógica do facilitismo aos alunos e da perseguição aos professores, como é o caso.
Não sou daqueles que estão inslados, bem quentinhos e querem tudo como está! Não! Agora não me venha defender as medidas actuais e muito menos defender posições como a deste presidente!
Haja um Governo que promova uma cultura de mérito e reconhecimento do trabalho dos alunos, de responsabilidade dos pais e uma avaliação justa e digna dos professores e então venha falar-me em mudanças positivas.

PC

14 07 2008
contestatario

Como é óbvio, Maria, primeiro tem que responsabilizar os monstros que estão dentro das salas. Depois, os que estão em casa. Depois, os que vêm e ignoram. Só depois poderá ser optimista e começar a responsabilizar o que se passa dentro das escolas.
É verdade que existem professores bem instalados. Mas nenhum bate a instalação que os alunos conseguiram obter nos últimos anos.

14 07 2008
16 07 2008
Carlos Filipe

Meus senhores, não sou professor, tenho admiração e respeito pelos mesmos, mas caíram na esparrela da democracia burguesa.
Vocês c/ o devido respeito são uma das ultimas classes que vão passar pelo que passaram os trabalhadores das industrias conserveiras, naval, metarlugia, textel, fabril diversa.
Para vocês em minha modesta opinião, pelo menos a nivel do ensino intermédio depois das escolas estarem equipadas com “as novas tecnologias” é irem todos para casa ficando alguns, num talvês denominado “ensino à distância e em grupo” ou “centro nacional de ensino”
Lamento meus senhores mas andaram (quando não deviam pelo V. nivel de cultura e profissão que escolheram´), andaram dizia eu distraídos com férias, campeonatos de futobol, não xatei que não há condições, a exercerem a V. profissão em condições degradantes, o facilitismo etç.
Não estou a condenar ninguém, estou só a comentar. Agora como alguém já disse, é tarde, porque a máquina repressiva, não forçosamente policial, mas o controle económico e cultural (alguem disse que ia abrir um parque oriental ???) está instalado.
Na minha opinião estamos num estado fascizante, económica, cultural e politicamente reformolando os velhos manuais das prácticas da mentira e do engano. Cataloguem como Quizerem.
A uma situação destas, só resta ao povo portugues combater como antes do 25 de Abril, mas para isso é preciso abdicar de algumas coisas e correr alguns riscos. Desiluda-se quem pensar que não os corre nesta podre democracia.
Vocês professores teem o mérito da cultura, utlizem-na.
Para finalizar permitam esta “achega” é em Cuba com Fidel sob embargo como sabem de todo o tipo, onde gente de muitos países vão fazer (mesmo os ricaços) especialissimos tratamentos, não há analfabetismo, máquinas a trabalharem anos e anos etç. Fidel tambem teve erros.
Desculpem ter metido foice em seara alheia.

18 07 2008
João

Só um ditador tem estas atitudes. Mas Deus não dorme.
Quem com ferros mata, com ferros morre!

20 07 2008
Fátima

Caro Colega

Por vezes comentar tamanha barbaridade é quase impossível. Em breve o sistema estará subvertido. As AEC estão a sobrepor-se às actividades curriculares…claro conquistar votos é contentar pais, não professores. A estes sobra-lhes muito pouco. Até a motivação é cada vez menos porque o desrespeito de quem gere é cada vez mais…enfim

26 08 2008
José Luiz

Já começo a bem dizer a guerra d’Africa que me permitiu reformar mais cêdo !!!!!!!!!!!!!!!!!!

5 10 2008
nunoanjospereira

Eu lecconei Inglês extracurricular, no ano em que surgiu 2005/06, a recibos verdes. A autarquia pagou em três vezes: no Natal; na Páscoa e em Julho, altura na qual o contracto já tinha terminado. O presidente da câmara é nosso colega. Sou licenciado em 1º ciclo (110) e 2ºCEB em Português / Inlgês (220), não conheço curso em que mais encaixe o inglês de primeiro ciclo. Batia recordes de velocidade entre seis turmas divididas por quatro escolas. Ao fim do dia ficavam as crianças à minha espera na rua, sem supervisão, eu tinha a chave da escola; noutras duas nas quais a Senhora Directora era a mesma, nunca me dirigiu palavra de coisa nenhuma, cheguei a ficar à porta da escola desconheçendo as razões pelas quais se encontrava encerrada; não conheci metade das titulares da turma, era visto como alguém estranho, inferior que vinham furar o horário. As outra duas colegas de AEC, uma era professora de secundário, a outra, nem professora era! Encarregados de educação e articulação com os titulares de turma? Nem fui convidade para nenhuma festa de natal! Hoje são as particulares de desemrascam o inglês, conta tempo de serviço para efeitos de concurso e para atrapalhar a leccionação do 2ºciclo. E isto é apenas um cheirinho do que nós passamos. Sou Pós-graduado em TIC, especializado em TCM e a minha coordenadora do ano passado era de matemática! Têm razão. Temos que no sporteger de nós mesmos…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: